segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

dedicado a quem divide a vida com um cão..

as outras não entenderam... clique na imagem se vc ja amou um cão...

O 13º Salário NUNCA Existiu...


Não tinha pensado nesta! Brilhante, de fato!

Os Ingleses recebem os ordenados semanalmente!
Mas ... há sempre uma razão para as coisas - e os ingleses NÃO FAZEM NADA POR ACASO!!!

Ora bem, cá está um exemplo aritmético simples que não exige altos conhecimentos de Matemática mas talvez necessite de conhecimentos médios de desmontagem de retórica enganosa.

Uma forma de desmascarar os brilhantes neo-liberais e os seus técnicos (lacaios) que recebem pensões de ouro para nos enganarem com as suas brilhantes teorias...

Fala-se que o governo pode vir a não pagar aos funcionários públicos o 13º salário.Se o fizerem, é uma roubalheira sobre outra roubalheira.

Perguntarão porquê.

Respondo: Porque o 13º salário não existe.

O 13º salário é uma das mais escandalosas de todas as mentiras do sistema capitalista,  é justamente aquela que os trabalhadores mais acreditam.

Eis aqui uma modesta demonstração aritmética de como foi fácil enganar os trabalhadores.

Suponhamos que você ganha R$ 700,00 por mês. Multiplicando-se esse salário por 12 meses,
você recebe um total de R$ 8.400,00 por um ano de doze meses.
R$ 700 X 12 = R$ 8.400,00

Em Dezembro, o generoso patrão cristão manda então pagar-lhe o conhecido 13º salário.

R$ 8.400,00 + 13º salário = R$ 9.100,00

R$ 8.400,00 (Salário anual) + R$ 700,00 (13º salário) = R$ 9.100 (Salário anual mais o 13º salário)

O trabalhador vai para casa todo feliz com o patrão.

Agora veja bem o que acontece quando o trabalhador se predispõe a fazer uma simple contas que aprendeu no Ensino Fundamental:

Se o trabalhador recebe R$ 700,00 mês e o mês tem quatro semanas, significa que ganha por semana R$ 175,00.

R$ 700,00 (Salário mensal) / 4 (semanas do mês) = R$ 175,00 (Salário semanal)

O ano tem 52 semanas. Se multiplicarmos R$ 175,00 (Salário semanal) por 52 (número de semanas anuais) o resultado será R$ 9.100,00.

R$ 175,00 (Salário semanal) X 52 (número de semanas anuais) = R$ 9.100.00

O resultado acima é o mesmo valor do Salário anual mais o 13º salário

Surpresa, surpresa? Onde está portanto o 13º Salário?

A explicação é simples, embora os nossos conhecidos líderes nunca se tenham dado conta desse fato simples.

A resposta é que o patrão lhe rouba uma parte do salário durante todo o ano, pela simples razão de que há meses com 30 dias, outros com 31 e também meses com quatro ou cinco semanas (ainda assim, apesar de cinco semanas o patrão só paga quatro semanas) o salário é o mesmo tenha o mês 30 ou 31 dias, quatro ou cinco semanas.

No final do ano o generoso patrão presenteia o trabalhador com um 13º salário, cujo dinheiro saiu do próprio bolso do trabalhador.

Se o governo retirar o 13º salário dos trabalhadores da função pública, o roubo é duplo.

Daí que, como palavra final para os trabalhadores inteligentes. Não existe nenhum 13º salário. O patrão apenas devolve o que sorrateiramente lhe surrupiou do salário anual.


Conclusão: Os Trabalhadores recebem o que já trabalharam e não um adicional.
Abre o olho basileiro!
Enviado por e-mail por Marinyr autor desconhecido.

sábado, 29 de janeiro de 2011

Aquecimento Global

O Aquecimento global é um fenômeno climático de larga extensão um aumento da temperatura média superficial global que vem acontecendo nos últimos 150 anos. Entretanto, o significado deste aumento de temperatura ainda é objecto de muitos debates entre os cientistas. Causas naturais ou antropogênicas (provocadas pelo homem) têm sido propostas para explicar o fenômeno.


Grande parte da comunidade científica acredita que o aumento de concentração de poluentes antropogênicos na atmosfera é causa do efeito estufa. A Terra recebe radiação emitida pelo Sol e devolve grande parte dela para o espaço através de radiação de calor. Os poluentes atmosféricos estão retendo uma parte dessa radiação que seria refletida para o espaço, em condições normais. Essa parte retida causa um importante aumento do aquecimento global.
A principal evidência do aquecimento global vem das medidas de temperatura de estações metereológicas em todo o globo desde 1860. Os dados com a correção dos efeitos de "ilhas urbanas" mostra que o aumento médio da temperatura foi de 0.6+-0.2 C durante o século XX. Os maiores aumentos foram em dois períodos: 1910 a 1945 e 1976 a 2000. (fonte IPCC).
Evidências secundárias são obtidas através da observação das variações da cobertura de neve das montanhas e de áreas geladas, do aumento do nível global dos mares, do aumento das precipitações, da cobertura de nuvens, do El Niño e outros eventos extremos de mau tempo durante o século XX.
Por exemplo, dados de satélite mostram uma diminuição de 10% na área que é coberta por neve desde os anos 60. A área da cobertura de gelo no hemisfério norte na primavera e verão também diminuiu em cerca de 10% a 15% desde 1950 e houve retração das montanhas geladas em regiões não polares durante todo o século XX.(Fonte: IPCC).
Causas
Mudanças climáticas ocorrem devido a factores internos e externos. Factores internos são aqueles associados à complexidade derivada do facto dos sistemas climáticos serem sistemas caóticos não lineares. Fatores externos podem ser naturais ou antropogênicos.
O principal factor externo natural é a variabilidade da radiação solar, que depende dos ciclos solares e do facto de que a temperatura interna do sol vem aumentando. Fatores antropogênicos são aqueles da influência humana levando ao efeito estufa, o principal dos quais é a emissão de sulfatos que sobem até a estratosfera causando depleção da camada de ozônio (fonte:IPCC)
Cientistas concordam que factores internos e externos naturais podem ocasionar mudanças climáticas significativas. No último milénio dois importantes períodos de variação de temperatura ocorreram: um período quente conhecido como Período Medieval Quente e um frio conhecido como Pequena Idade do Gelo. A variação de temperatura desses períodos tem magnitude similar ao do atual aquecimento e acredita-se terem sido causados por fatores internos e externos somente. A Pequena Idade do Gelo é atribuída à redução da atividade solar e alguns cientistas concordam que o aquecimento terrestre observado desde 1860 é uma reversão natural da Pequena Idade do Gelo ( Fonte: The Skeptical Environmentalist).
tipos de poluição
Entretanto grandes quantidades de gases tem sido emitidos para a atmosfera desde que começou a revolução industrial, a partir de 1750 as emissões de dióxido de carbono aumentaram 31%, metano 151%, óxido de nitrogênio 17% e ozônio troposférico 36% (Fonte IPCC).

A maior parte destes gases são produzidos pela queima de combustíveis fósseis. Os cientistas pensam que a redução das áreas de florestas tropicais tem contribuído, assim como as florestas antigas, para o aumento do carbono. No entanto florestas novas nos Estados Unidos e na Rússia contribuem para absorver dióxido de carbono e desde 1990 a quantidade de carbono absorvido é maior que a quantidade liberada no desflorestamento. Nem todo dióxido de carbono emitido para a atmosfera se acumula nela, metade é absorvido pelos mares e florestas.
A real importância de cada causa proposta pode somente ser estabelecida pela quantificação exacta de cada factor envolvido. Factores internos e externos podem ser quantificados pela análise de simulações baseadas nos melhores modelos climáticos.
A influência de fatores externos pode ser comparada usando conceitos de força radiotiva. Uma força radiotiva positiva esquenta o planeta e uma negativa o esfria. Emissões antropogênicas de gases, depleção do ozônio estratosférico e radiação solar tem força radioativa positiva e aerosóis tem o seu uso como força radiotiva negativa.(fonte IPCC).
Modelos climáticos
Simulações climáticas mostram que o aquecimento ocorrido de 1910 até 1945 podem ser explicado somente por forças internas e naturais (variação da radiação solar) mas o aquecimento ocorrido de 1976 a 2000 necessita da emissão de gases antropogênicos causadores do efeito estufa para ser explicado. A maioria da comunidade científica está actualmente convencida de que uma proporção significativa do aquecimento global observado é causado pela emissão de gases causadores do efeito estufa emitidos pela actividade humana. (Fonte IPC)
Esta conclusão depende da exactidão dos modelos usados e da estimativa correcta dos factores externos. A maioria dos cientistas concorda que importantes características climáticas estejam sendo incorrectamente incorporadas nos modelos climáticos, mas eles também pensam que modelos melhores não mudariam a conclusão. (Source: IPCC)
Os críticos dizem que há falhas nos modelos e que factores externos não levados em consideração poderiam alterar as conclusões acima. Os críticos dizem que simulações climáticas são incapazes de modelar os efeitos resfriadores das partículas, ajustar a retroalimentação do vapor de água e levar em conta o papel das nuvens. Críticos também mostram que o Sol pode ter uma maior cota de responsabilidade no aquecimento global actualmente observado do que o aceite pela maioria da comunidade científica. Alguns efeitos solares indirectos podem ser muito importantes e não são levados em conta pelos modelos. Assim, a parte do aquecimento global causado pela acção humana poderia ser menor do que se pensa actualmente. (Fonte: The Skeptical Environmentalist)
Efeitos

Devido aos efeitos potenciais sobre a saúde humana, economia e meio ambiente o aquecimento global tem sido fonte de grande preocupação. Algumas importantes mudanças ambientais tem sido observadas e foram ligadas ao aquecimento global. Os exemplos de evidências secundárias citadas abaixo (diminuição da cobertura de gelo, aumento do nível do mar, mudanças dos padrões climáticos) são exemplos das consequências do aquecimento global que podem influenciar não somente as actividades humanas mas também os ecosistemas. Aumento da temperatura global permite que um ecosistema mude; algumas espécies podem ser forçadas a sair dos seus habitats (possibilidade de extinção) devido a mudanças nas condições enquanto outras podem espalhar-se, invadindo outros ecossistemas.
Entretanto, o aquecimento global também pode ter efeitos positivos, uma vez que aumentos de temperaturas e aumento de concentrações de CO2 podem aprimorar a produtividade do ecosistema. 
Observações de satélites mostram que a produtividade do hemisfério Norte aumentou desde 1982. Por outro lado é fato de que o total da quantidade de biomassa produzida não é necessáriamente muito boa, uma vez que a biodiversidade pode no silêncio diminuir ainda mais um pequeno número de espécie que esteja florescendo.
Uma outra causa grande preocupação é o aumento do nível do mar. O nível dos mares está aumentando em 0.01 a 0.02 metros por década e em alguns países insulares no Oceano Pacífico são expressivamente preocupantes, porque cedo eles estarão debaixo de água. O aquecimento global provoca subida dos mares principalmente por causa da expansão térmica da água dos oceanos, mas alguns cientistas estão preocupados que no futuro, a camada de gelo polar e os glaciares derretam. Em consequência haverá aumento do nível, em muitos metros. 
No momento, os cientistas não esperam um maior derretimento nos próximos 100 anos. (Fontes: IPCC para os dados e as publicações da grande imprensa para as percepções gerais de que as mudanças climáticas).
Como o clima fica mais quente, a evaporação aumenta. Isto provoca pesados aguaceiros e mais erosão. Muitas pessoas pensam que isto poderá causar resultados mais extremos no clima como progressivo aquecimento global.

O aquecimento global também pode apresentar efeitos menos óbvios. A Corrente do Atlântico Norte, por exemplo, provocada por diferenças entre a temperatura entre os mares. Aparentemente ela está diminuindo conforme as médias da temperatura global aumentam, isso significa que áreas como a Escandinávia e a Inglaterra que são aquecidas pela corrente devem apresentar climas mais frios a despeito do aumento do calor global.
Conseqüências

Aquecimento global pode trazer conseqüências graves para todo o planeta incluindo plantas, animais e seres humanos. A retenção de calor na superfície terrestre pode influenciar fortemente o regime de chuvas e secas em várias partes do planeta, afetando plantações e florestas.

Algumas florestas podem sofrer processo de desertificação, enquanto plantações podem ser destruídas por alagamentos. O resultado disso é o movimento migratório de animais e seres humanos, escassez de comida, aumento do risco de extinção de várias espécies animais e vegetais, e aumento do número de mortes por desnutrição.

Outro grande risco do aquecimento global é o derretimento das placas de gelo da Antártica. Esse derretimento já vinha acontecendo há milhares de anos, por um lento processo natural. Mas a ação do homem e o efeito estufa aceleraram o processo e o tornaram imprevisível.





A calota de gelo ocidental da Antártida está derretendo a uma velocidade de 250 km cúbicos por ano, elevando o nível dos oceanos em 0,2 milímetro a cada 12 meses. O degelo desta calota pode fazer os oceanos subirem até 4,9 metros, cobrindo vastas áreas litorâneas pelo mundo e ilhas inteiras. Os resultados também são escassez de comida, disseminação de doenças e mortes.

O aquecimento global também acarreta mudanças climáticas, o que é responsável por 150 mil mortes a cada ano em todo o mundo. Só no ano passado, uma onda de calor que atingiu a Europa no verão matou pelo menos 20 mil pessoas. Os países tropicais e pobres são os mais vulneráveis a tais efeitos.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) atribui à modificação do clima 2,4% dos casos de diarréia e 2% dos de malária em todo o mundo. Esse quadro pode ficar ainda mais sombrio: alguns cientistas alertam que o aquecimento global pode se agravar nas próximas décadas e a OMS calcula que para o ano de 2030 as alterações climáticas poderão causar 300 mil mortes por ano.

O aquecimento Global é uma catástrofe que parece caminhar para seu final, infelizmente não da melhor maneira, da maneira que sempre desejamos para nosso planeta, alias a alguns responsáveis, empresas pouco se importam com essa idéia, poluem, fazem o que for preciso para atingirem suas metas.
Pelas noticias o aquecimento global terá um final trágico, com derretimento das geleiras, cidades litorâneas sendo invadidas e até locais como floresta amazônica se transformando em um imenso deserto.


Para evitar tudo isso? Resposta que todos tentam, porém a invenção do século, a mágica ainda não chegou. Por isso de momento, fazendo nossa parte, jogando lixo no lixo, utilizando meios de transportes não poluentes, economizando nossas fontes preciosas como água, poderemos aumentar o tempo de vida do planeta, não recuperar o perdido, mas sim frear um gigantesco perigo que está estampado a nossa frente.

A vida pede socorro!
 FAÇA SUA PARTE! COMECE FAZENDO O NECESSÁRIO, DEPOIS FAÇA OQUE É POSSIVEL, E DERREPENTE ESTARÁ FAZENDO O IMPOSSIVEL!

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

O direito ao palavrão

O direito ao palavrão.
Luis Fernando Veríssimo.
Os palavrões não nasceram por acaso. São recursos extremamente válidos e criativos para prover nosso vocabulário de expressões que traduzem com a maior fidelidade nossos mais fortes e genuínos sentimentos. É o povo fazendo sua língua. Como o Latim Vulgar, será esse Português vulgar que vingará plenamente um dia. Sem que isso signifique a "vulgarização" do idioma, mas apenas sua maior aproximação com a gente simples das ruas e dos escritórios, seus sentimentos, suas emoções, seu jeito, sua índole.
"Pra caralho", por exemplo. Qual expressão traduz melhor a ideia de muita quantidade do que "Pra caralho"? "Pra caralho" tende ao infinito, é quase uma expressão matemática. A Via-Láctea tem estrelas Pra caralho, o Sol é quente Pra caralho, o universo é antigo Pra caralho, eu gosto de cerveja Pra caralho, entende?
No gênero do "Pra caralho", mas, no caso, expressando a mais absoluta negação, está o famoso "Nem fodendo!". O "Não, não e não!" e tampouco o nada eficaz e já sem nenhuma credibilidade "Não, absolutamente não" o substituem. "Nem fodendo" é irretorquível, e liquida o assunto. Te libera, com a consciência tranqüila, para outras atividades de maior interesse em sua vida. Aquele filho pentelho de 17 anos te atormenta pedindo o carro pra ir surfar no litoral? Não perca tempo nem paciência. Solte logo um definitivo "Marquinhos, presta atenção, filho querido, NEM FODENDO!". O impertinente se manca na hora e vai pro Shopping se encontrar com a turma numa boa e você fecha os olhos e volta a curtir o CD do Lupicínio.
Por sua vez, o "porra nenhuma!" atendeu tão plenamente as situações onde nosso ego exigia não só a definição de uma negação, mas também o justo escárnio contra descarados blefes, que hoje é totalmente impossível imaginar que possamos viver sem ele em nosso cotidiano profissional. Como comentar a gravata daquele chefe idiota senão com um "é PhD porra nenhuma!", ou "ele redigiu aquele relatório sozinho porra nenhuma! . O "porra nenhuma", como vocês podem ver, nos provê sensações de incrível bem estar interior. É como se estivéssemos fazendo a tardia e justa denúncia pública de um canalha. São dessa mesma gênese os clássicos "aspone", "chepne", "repone" e, mais recentemente, o "prepone" - presidente de porra nenhuma.
Há outros palavrões igualmente clássicos. Pense na sonoridade de um "Puta-que-pariu!", ou seu correlato "Puta-que-o- pariu!", falados assim, cadenciadamente, sílaba por sílaba... Diante de uma notícia irritante qualquer um "puta-que-o- pariu!" dito assim te coloca outra vez em seu eixo. Seus neurônios têm o devido tempo e clima para se reorganizar e sacar a atitude que lhe permitirá dar um merecido troco ou o safar de maiores dores de cabeça.
E o que dizer de nosso famoso "vai tomar no cú!"? E sua maravilhosa e reforçadora derivação "vai tomar no olho do seu cú!". Você já imaginou o bem que alguém faz a si próprio e aos seus quando, passado o limite do suportável, se dirige ao canalha de seu interlocutor e solta: "Chega! Vai tomar no olho do seu cú!". Pronto, você retomou as rédeas de sua vida, sua auto-estima. Desabotoa a camisa e saia à rua, vento batendo na face, olhar firme, cabeça erguida, um delicioso sorriso de vitória e renovado amor-íntimo nos lábios.
E seria tremendamente injusto não registrar aqui a expressão de maior poder de definição do Português Vulgar: "Fodeu!". E sua derivação mais avassaladora ainda: "Fodeu de vez!". Você conhece definição mais exata, pungente e arrasadora para uma situação que atingiu o grau máximo imaginável de ameaçadora complicação? Expressão, inclusive, que uma vez proferida insere seu autor em todo um providencial contexto interior de alerta e auto-defesa. Algo assim como quando você está dirigindo bêbado, sem documentos do carro e sem carteira de habilitação e ouve uma sirene de polícia atrás de você mandando você parar: O que você fala? "Fodeu de vez!". Sem contar que o nível de stress de uma pessoa é inversamente proporcional à quantidade de "foda-se!" que ela fala. Existe algo mais libertário do que o conceito do "foda-se!"? O "foda- se!" aumenta minha auto-estima, me torna uma pessoa melhor. Reorganiza as coisas. Me liberta. "Não quer sair comigo? Então foda-se!". "Vai querer decidir essa merda sozinho(a) mesmo? Então foda-se!". O direito ao "foda-se!" deveria estar assegurado na Constituição Federal. Liberdade, igualdade, fraternidade e foda-se!.
Grosseiro, mas profundo... Pois se a língua é viva, inculta, bela e mal-criada, nem o Prof. Pasquale explicaria melhor. "Nem fodendo..."




segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

cenas fortes, morbidas, pessadas, crueis....

Quando comecei a proteger os animais eu não sabia exatamente oque acontecia pelo mundo. Mas as cenas fortes, morbides, pessado, crueis que posto aqui são a realidade, e não é ignorando elas que seremos felizes. Não é ignorando as coisas ruins que elas vão deixar de existir e sim encarando-as de frente e de coração aberto! Vejam estas imagens:




são animais felizes em seus habitats. E vemos todos os dias animais como esses sendo mau tratados por "humanos". Como posso olhar pro outro lado? Quero ver todos felizes, incluindo as maiores vitimas da sociedade humana: os animais!

Entidade cristã quer apedrejar até a morte orca assassina!


Tillikum com a treinadora Dawn.
A AFA (American Family Association) defende o apedrejamento até a morte da orca Tillikum pelo fato dela ter matado Dawn Brancheau, a sua treinadora, no Sea World Orlando, Estados Unidos.

A influente entidade cristã cita passagens da Bíblia para justificar a morte do animal, cuja carne, diz, não deve ser consumida por ninguém. A informação é do jornal português Correio da Manhã.

Organizações de defesa de animais de todo mundo têm reagido à proposta do apedrejamento.

Se depender da AFA, também o proprietário do parque aquático deve ser morto a pedradas, também de acordo com o que manda a Bíblia, argumenta a entidade.

A AFA foi criada em 1977 pelo reverendo Donald Wildmon sem fins lucrativos. Com sede em Tupelo, Mississipi, possui um orçamento anual em torno de US$ 15 milhões. Controla 180 emissoras de rádios em 28 estados norte-americanos.

Ele se apresenta como um grupo de religiosos que defende a “ética bíblica” como forma de preservar a “decência da sociedade americana”.

Entre outras coisas, combate o casamento homossexual e é favorável à censura da imprensa.

Notícia do apedrejamento da orca no Correio da Manhã.
E ainda querem garantir a vaga deles no céu?! Deus os perdoe!

CQC NO RODEIO ....

de onde veio esse povo?


http://www.youtube.com/watch?v=scRdyOHZlRU&feature=related
http://www.youtube.com/watch?v=6HFdoIBoOGQ

é por isso que curto o CQC e detesto rodeio! Gente tosca!

sábado, 22 de janeiro de 2011

Chegou o verão!


Verão também é sinônimo de pouca roupa e muito chifre, pouca cintura
e muita gordura, pouco trabalho e muita micose.

Verão é picolé de Kisuco no palito reciclado, é milho cozido na água
da torneira, é coco verde aberto pra comer a gosminha branca.

Verão é prisão de ventre de uma semana e pé inchado que não entra no
tênis.

Mas o principal ponto do verão é.... A praia!


Ah, como é bela a praia.

Os cachorros fazem cocô e as crianças pegam pra fazer coleção.

Os casais jogam frescobol e acertam a bolinha na cabeça das véias.

Os jovens de jet ski atropelam os surfistas, que por sua vez, miram a
prancha pra abrir a cabeça dos banhistas.

O melhor programa pra quem vai à praia é chegar bem cedo, antes do
sorveteiro, quando o sol ainda está fraco e as famílias estão
chegando.

Muito bonito ver aquelas pessoas carregando vinte cadeiras, três
geladeiras de isopor, cinco guarda-sóis, raquete, frango, farofa,
toalha, bola, balde, chapéu e prancha, acreditando que estão de
férias.

Em menos de cinqüenta minutos, todos já estão instalados, besuntados
e prontos pra enterrar a avó na areia.

E as crianças? Ah, que gracinhas! Os bebês chorando de desidratação,
as crianças pequenas se socando por uma conchinha do mar, os
adolescentes ouvindo walkman enquanto dormem.

As mulheres também têm muita diversão na praia, como buscar o filho
afogado e caminhar vinte quilômetros pra encontrar o outro pé do
chinelo.

Já os homens ficam com as tarefas mais chatas, como furar a areia pra
fincar o cabo do guarda-sol.

É mais fácil achar petróleo do que conseguir fazer o guarda-sol ficar
em pé.

Mas tudo isso não conta, diante da alegria, da felicidade, da
maravilha que é entrar no mar!

Aquela água tão cristalina, que dá pra ver os cardumes de latinha de
cerveja no fundo.

Aquela sensação de boiar na salmoura como um pepino em conserva.

Depois de um belo banho de mar, com o rego cheio de sal e a periquita
cheia de areia, vem àquela vontade de fritar na chapa.

A gente abre a esteira velha, com o cheiro de velório de bode, bota o
chapéu, os óculos escuros e puxa um ronco bacaninha.

Isso é paz, isso é amor, isso é o absurdo do calor!!!!!

Mas, claro, tudo tem seu lado bom.

E à noite o sol vai embora.

Todo mundo volta pra casa tostado e vermelho como mortadela, toma
banho e deixa o sabonete cheio de areia pro próximo.

O shampoo acaba e a gente acaba lavando a cabeça com qualquer coisa,
desde creme de barbear até desinfetante de privada.

As toalhas, com aquele cheirinho de mofo que só a casa da praia
oferece.

Aí, uma bela macarronada pra entupir o bucho e uma dormidinha na rede
pra adquirir um bom torcicolo e ralar as costas queimadas.

O dia termina com uma boa rodada de tranca e uma briga em família.

Todo mundo vai dormir bêbado e emburrado, babando na fronha e
torcendo, pra que na manhã seguinte, faça aquele sol e todo mundo
possa se encontrar no mesmo inferno tropical...

Luís Fernando Veríssimo

EU TE AMO... NÃO DIZ TUDO!


Você sabe que é amado(a) porque lhe disseram isso?

A demonstração de amor requer mais do que beijos, sexo e palavras.

Sentir-se amado é sentir que a pessoa tem interesse real na sua vida,

Que zela pela sua felicidade,

Que se preocupa quando as coisas não estão dando certo,

Que se coloca a postos para ouvir suas dúvidas,

E que dá uma sacudida em você quando for preciso.

Ser amado é ver que ele(a) lembra de coisas que você contou dois anos atrás,

É ver como ele(a) fica triste quando você está triste,

E como sorri com delicadeza quando diz que você está fazendo uma tempestade em copo d'água.

Sente-se amado aquele que não vê transformada a mágoa em munição na hora da discussão.

Sente-se amado aquele que se sente aceito, que se sente inteiro.

Aquele que sabe que tudo pode ser dito e compreendido.

Sente-se amado quem se sente seguro para ser exatamente como é,

Sem inventar um personagem para a relação,

Pois personagem nenhum se sustenta muito tempo.

Sente-se amado quem não ofega, mas suspira;

Quem não levanta a voz, mas fala;

Quem não concorda, mas escuta.

Agora, sente-se e escute: Eu te amo não diz tudo!
Arnaldo Jabor

Crônica do Amor


Ninguém ama outra pessoa pelas qualidades que ela tem, caso contrário os honestos, simpáticos e não fumantes teriam uma fila de pretendentes batendo a porta.

O amor não é chegado a fazer contas, não obedece à razão. O verdadeiro amor acontece por empatia, por magnetismo, por conjunção estelar.

Ninguém ama outra pessoa porque ela é educada, veste-se bem e é fã do Caetano. Isso são só referenciais.

Ama-se pelo cheiro, pelo mistério, pela paz que o outro lhe dá, ou pelo tormento que provoca.

Ama-se pelo tom de voz, pela maneira que os olhos piscam, pela fragilidade que se revela quando menos se espera.

Você ama aquela petulante. Você escreveu dúzias de cartas que ela não respondeu, você deu flores que ela deixou a seco.

Você gosta de rock e ela de chorinho, você gosta de praia e ela tem alergia a sol, você abomina Natal e ela detesta o Ano Novo, nem no
ódio vocês combinam. Então?

Então, que ela tem um jeito de sorrir que o deixa imobilizado, o beijo dela é mais viciante do que LSD, você adora brigar com ela e ela adora implicar com você. Isso tem nome.

Você ama aquele cafajeste. Ele diz que vai e não liga, ele veste o primeiro trapo que encontra no armário. Ele não emplaca uma semana nos empregos, está sempre duro, e é meio galinha. Ele não tem a
menor vocação para príncipe encantado e ainda assim você não consegue despachá-lo.

Quando a mão dele toca na sua nuca, você derrete feito manteiga. Ele toca gaita na boca, adora animais e escreve poemas. Por que você ama
este cara?

Não pergunte pra mim; você é inteligente. Lê livros, revistas, jornais. Gosta dos filmes dos irmãos Coen e do Robert Altman, mas sabe que uma boa comédia romântica também tem seu valor.

É bonita. Seu cabelo nasceu para ser sacudido num comercial de xampu e seu corpo tem todas as curvas no lugar. Independente, emprego fixo, bom saldo no banco. Gosta de viajar, de música, tem loucura
por computador e seu fettucine ao pesto é imbatível.

Você tem bom humor, não pega no pé de ninguém e adora sexo. Com um currículo desse, criatura, por que está sem um amor?

Ah, o amor, essa raposa. Quem dera o amor não fosse um sentimento, mas uma equação matemática: eu linda + você inteligente = dois apaixonados.

Não funciona assim.

Amar não requer conhecimento prévio nem consulta ao SPC. Ama-se justamente pelo que o Amor tem de indefinível.

Honestos existem aos milhares, generosos têm às pencas, bons motoristas e bons pais de família, tá assim, ó!

Mas ninguém consegue ser do jeito que o amor da sua vida é! Pense nisso. Pedir é a maneira mais eficaz de merecer. É a contingência maior de quem precisa.
Arnaldo Jabor

PRIMEIRA DEPILAÇÃO DE UMA MULHER


“Tens de tentar. Vai ficar lindo.” Foi assim que decidi, por livre e espontânea pressão de amigas, me render à depilação na virilha. Falaram que eu ia me sentir dez quilos mais leve. (palavras magicas estas dos 10Kg)
Disseram que o meu namorado ia adorar, que eu nunca mais ia querer outra coisa. Eu imaginava que ia doer, porque elas ao menos me avisaram que isso aconteceria.
ao telefone:
-boa tarde, queria marcar depilação com a Paula.
- Vai depilar o quê?
- A Virilha.
- Normal ou cavada?
É pá. Eu lá sei o que é uma virilha cavada. Mas já que é para fazer…
- Cavada mesmo.
- Amanhã, às… Deixa eu ver…13h?
- Ok. Marcado.
Chegou o dia em que ia perder dez quilos. Almocei uma coisa leve, porque sabia lá eu o que me esperava, vesti uma roupa bonita, para ficar chique. Escolhi uma calcinha apresentável. E lá fui.
Assim que cheguei, a Paula já estava a minha espera. Mulherona alta, muito bonita.
Pediu que eu a seguisse até o local onde o ritual seria realizado.
Saímos da sala de espera e entrei num corredor. De um lado a parede e do outro, algumas cortinas brancas. Por trás delas havia gemidos, gritos, conversas.
Fiquei com um frio na barriga ali mesmo, sem desabotoar nem um botão. Eis que chegamos ao nosso cantinho: uma maca, cercada de cortinas.
- Querida, pode deitar.
Tirei as calças e, timidamente, fiquei lá estirada de cuecas na maca.
Mas a Paula mal olhou para mim. Virou as costas e ficou de frente para uma mesinha. Onde estavam os aparelhos de tortura. Vi coisas estranhas.
Uma panela, uma máquina de cortar cabelo, uma pinça. Oh meu Deus, parecia uma sala de sadomasoquismo. De repente ela vem com um cordel na mão.
Fingi que era natural e sabia o que ela ia fazer com ele, mas fiquei surpreendida, quando ela passou a cordinha pelas laterais das cuecas e deu um nó bem forte.
- Quer bem cavada?
- É… é, isso.
A Paula só deixou as cuecas a tapar uma fina faixa da badana.
-Os pêlos estão grandes demais. Vou cortar um pouco senão vai doer mais ainda.
- Ah, sim, claro.
Claro nada, não entendia nada do que ela fazia. Mas confiei. De repente, ela volta da mesinha de tortura com uma espátula com um líquido viscoso e quente (via pelo fumo).
- Pode abrir as pernas.
- Assim?
- Não, querida. Dobre os joelhos e depois mete as pernas para o lado.
- Arreganhada, então?
Ela riu. Que situação….
E então, a ela passou a primeira camada de cera quente em minha virilha Virgem. Muito bom, quentinho, agradável. Até a hora de puxar.
Foi rápido e fatal.
Achei que toda a pele de meu corpo tivesse saído, que apenas os meu ossos tinham ficado na maca.
Não tive coragem de olhar. Achei que havia sangue jorrando até o teto. Até contei os azulejos da parede só para disfarçar a minha expressão, para fingir que era tudo super natural.
Então a Paula perguntou se estava tudo bem quando me viu roxa. Eu tinha-me
esquecido de respirar… Tinha medo de que doesse mais.
- Tudo óptimo. E você?
Ela riu de novo como quem pensa “rapariga estranha”. Mas deve ter aprendido a ser simpática para manter clientes. O processo medieval continuou. A cada puxada eu tinha vontade da espancar.
Lembrava-me das minhas “amigas” recomendando a depilação e imaginava que era tudo uma grande conspiração, só para me fazer sofrer. Todas recomendam porque se cansam de sofrer sozinhas.
- Quer que tire dos lábios?
- Não, eu quero só virilha, bigode não.
- Não, querida, os lábios dela aqui ó.
Não, não, pára tudo. Depilar os tais grandes lábios? Fogo, que ideia. Mas quem está na maca tem que se fuder mesmo…
-Ah, arranca p’aí. (Faz isso valer a pena).
Não bastava minha condição, a depiladora do lado invade a salinha e dá uma olhadela na senaita.
- Olha, esta a ficar linda.
- Mas está cheia de pelos encravados aqui. Olha de perto.
Se tivesse sobrado algum pentelhinho, ele teria abanado com a respiração das duas.
Só faltava lá esfregarem a cara. Fechei os olhos e pedi que fosse um pesadelo. “Tira-me daqui meu Deus, teletransporta-me para Marte por favor”. Só voltei à terra quando entre uns blábláblás ouvi a palavra pinça.
- Vou dar uma pinçada aqui, porque ficaram um pelinhos, tá?
- Pode pinçar, tá tudo dormente mesmo, não sentindo nada.
Estava enganada. Senti cada picadinha daquela pinça, filha da puta, a arrancar cada cabelinhos resistentes da pele já dolorida. E quis matá-la. Mas mal sabia eu, que o motivo para eu querer fazer isso ainda estava para vir.
- Vamos ficar de lado agora?
- Hein?
- Deitar de lado para fazer a parte cavada.
Pior não podia ficar. Obedeci à Paula.
Deitei de lado e fiquei esperando novas ordens.
- Segura o rabinho aqui?
- Hein?
- Afasta as bordas do rabinho.
Tive vontade de chorar. Eu não podia ver o que ela via. Mas ela estava de cara para ele, o olho que nada vê. Nem a minha ginecologista esteve tão perto desse olho. Quis chorar, gritar, peidar na cara dela, para ver se ela ficava envenenada. Fiquei a imaginar a Paula a acordar à noite com um pesadelo. O marido perguntaria:
- Tudo bem, amor?
- Sim… só sonhei de novo com o cu de uma cliente.
Mas de repente, fui novamente trazida para a realidade. Senti o aconchego falso da cera quente besuntando meu Twin Peaks. Não sabia se ficava com mais medo da puxada ou da vergonha da situação. Sei que ela deve ver mil cus por dia.
Aliás, isso até alivia minha situação. Por que ela lembraria justamente do meu entre tantos?
E aí veio o pensamento: p’era, mas tem cabelo lá? Fui impedida de continuar com o raciocínio.
Ela puxou a cera. Achei que o rabo tivesse ido toda embora, num só puxão, arrancou qualquer coisa que tivesse ali. Com certeza não havia nem uma preguinha para contar a história.
Mordia a almofada e grunhia ao mesmo tempo. Sons pré-históricos, palavrões, pedidos de súplica e perdão pelos meus pecados, tudo junto.
- Vira agora do outro lado.
Porra.. por que não arrancou tudo de uma vez?
E então, piora. A vaca da sala ao lado entra outra vez…
- Paula, tens um chumaço de algodão?
Apenas uma lágrima solitária escorreu de meus olhos. Era dor demais, vergonha demais.
Aquilo não fazia sentido. Estava me depilando para quem afinal? Ninguém ia ver o olhino tão de perto daquele jeito. Só mesmo a Paula. E agora a vizinha inconveniente.
- Terminamos. Pode virar que vou passar a maquininha.
- Máquina de quê?! (mais dor não!…)
- Para deixar ela com os pêlos curtinhos, que nem um campo de futebol.
- Dói? (perguntei a medo)
-Não dói nada.
- Tá, passa essa merda…
- Baixa a cuequinhas, por favor.
Foram dois segundos de choque extremo.
Baixa as cuecas…. como é que alguém diz isto sem antes pegar nas mamas? Mas o choque foi substituído por uma total redenção. Ela viu tudo, da badana ao cu. O que seria baixar a cuecas?
E essa parte não doeu mesmo, foi até bem agradável.
- Prontinha. Posso passar pó de talco?
- Pode, deixa a bicha grisalha.
- Tá linda! Pode namorar muito agora.
Namorar…namorar… eu estava com sede de vingança. Admito que o resultado é bonito, lisinho, sedoso. Mas dói e incomodava.
Queria matar as minhas amigas. Queria virar feminista, morrer peluda, protestar contra isso, queria fazer uma manifestação, criar uma lei anti-depilação cavada.
fonte: http://www.hein.com.br

O triste caso de uma depilação masculina!


Na postagem “Depilação a moda brasilis” levantou-se uma polêmica da dor gerada por uma depilação, teve homem dizendo que mulher reclama de dor como essa porque nunca levou uma bolada no saco, outra menina retrucou perguntando se ele levava uma bolada no saco de 15 em 15 dias para agradar sua parceira… e por ai vai!
Resumindo! Me lembrei que alguns meses atrás eu recebi um e-mail de um tio meu que relatava a triste história de um homem que acabou sendo “emprenhado pelos ouvidos” por sua esposa e resolveu depilar os cabelos do saco!
Eu não sei a quem creditar o texto por que o recebi por e-mail e sem identificação do autor! O texto começa assim:
“Estava eu assistindo TV numa tarde de domingo, naquele horário em que não se pode inventar nada o que fazer, pois amanhã é segunda-feira, quando minha esposa deitou ao meu lado e ficou brincando com minhas “partes”. Após alguns minutos ela veio com a seguinte idéia: Por que não depilamos seus ovinhos, assim eu poderia fazer “outras coisas” com eles.
Aquela frase foi igual um sino na minha cabeça. Por alguns segundos fiquei imaginando o que seriam “outras coisas”. Respondi que não, que doeria coisa e tal, mas ela veio com argumentos sobre as novas técnicas de depilação e eu imaginando as “outras coisas” não tive mais como negar. Concordei.
Ela me pediu que ficasse pelado enquanto buscaria os equipamentos necessários para tal feito.
Fiquei olhando para TV, porém minha mente estava vagando pelas novas sensações que só acordei quando escutei o beep do microondas.
Ela voltou ao quarto com um pote de cera, uma espátula e alguns pedaços de plástico.
Achei meio estranho aqueles equipamentos, mas ela estava com um ar de “dona da situação” que deixaria qualquer médico urologista sentindo-se como residente. Fiquei tranqüilo e autorizei o restante do processo.
Pediu para que eu ficasse numa posição de quase frango assado e liberasse o aceso a zona do agrião. Pegou meus ovinhos como quem pega duas bolinhas de porcelana e começou a passar cera morna. Achei aquela sensação maravilhosa!! O Sr. Pinto já estava todo “pimpão” como quem diz: “sou o próximo da fila”!! Pelo início, fiquei imaginando quais seriam as “outras coisas” que viriam. Após estarem completamente besuntados de cera, ela embrulhou ambos no plástico com tanto cuidado que eu achei que iria levá-los para viagem. Fiquei imaginando onde ela teria aprendido essa técnica de prazer: Na Tailândia, na China ou pela Internet mesmo. Porém, alguns segundos depois ela esticou o saquinho para um lado e deu um puxão repentino.
Todas as novas sensações foram trocadas por um sonoro PUUUUTA QUEEEE O PARIUUUUUUU quase falado letra por letra.
Olhei para o plástico para ver se o couro do meu saco não tinha ficado grudado. Ela disse que ainda restaram alguns pelinhos, e que precisava passar de novo.
Respondi prontamente: Se depender de mim eles vão ficar aí para a eternidade!! Segurei o Dr. Esquerdo e o Dr. Direito em minhas respectivas mãos, como quem segura os últimos ovos da mais bela ave amazônica em extinção, e fui para o banheiro. Sentia o coração bater nos ovos. Abri o chuveiro e foi a primeira vez que eu molho o saco antes de molhar a cabeça. Passei alguns minutos só deixando a água gelada escorrer pelo meu corpo. Saí do banho, mas nesses momentos de dor qualquer homem vira um bebezinho novo: faz merda atrás de merda.
Peguei meu gel pós barba com camomila “que acalma a pele”, enchi as mãos e passei nos ovos. Foi como se tivesse passado molho de pimenta. Sentei no bidê na posição de “lava xereca” e deixei o chuveirinho acalmar os Drs., peguei a toalha de rosto e fiquei abanando os ovos como quem abana um boxeador no 10° round. Olhei para meu pinto. Ele tão alegrinho minutos atrás, estava tão pequeno que mais parecia irmão gêmeo de meu umbigo. Nesse momento minha esposa bate na porta do banheiro e perguntou se eu estava passando bem. Aquela voz antes tão aveludada e sedutora ficou igual uma gralha . Saí do banheiro e voltei para o quarto. Ela estava argumentado que os pentelhos tinham saído pelas raízes, que demorariam voltar a nascer. “Pela espessura da pele do meu saco, aqui não nasce nem penugem, meus ovos vão ficar que nem os das codornas “, respondi. Ela pediu para olhar como estavam. Eu falei para olhar com meio metro de distância e sem tocar em nada e se ficar rindo vai entrar na PORRADA!! Vesti a camiseta e fui dormir (somente de camiseta). Naquele momento sexo para mim nem para perpetuar a espécie humana.
No outro dia pela manhã fui me arrumar para ir trabalhar. Os ovos estavam mais calmos, porém mais vermelhos que tomates maduros. Foi estranho sentir o vento bater em lugares nunca antes visitados. Tentei colocar a cueca, mas nada feito. Procurei alguma cueca de veludo e nada. Vesti a calça mais folgada que achei no armário e fui trabalhar sem cueca mesmo. Entrei na minha seção andando igual um cowboy cagado. Falei bom dia para todos, mas sem olhar nos olhos. E passei o dia inteiro trabalhando em pé com receio de encostar os tomates maduros em qualquer superfície. Resultado, certas coisas devem ser feitas somente pelas mulheres.
Não adianta tentar misturar os universos masculino e feminino.
fonte: http://www.hein.com.br

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Para quem nunca viu uma pika....


Pika
O pika é um mamífero pequeno, com membros curtos, orelhas arredondadas e cauda curta. O nome pika (pronuncia-se / paɪkə / PYE-kə , arcaicamente pica escrito) é usado para qualquer membro da Ochotonidae, uma família dentro da ordem de lagomorfos , que também inclui o leporídeos ( coelhos e lebres ). Um gênero, Ochotona, é reconhecida no seio da família, e inclui 30 espécies. Também é conhecida como a "assobiar lebre", devido à sua estridente grito de alarme ao mergulhar em sua toca. O nome "pika" parece ser derivada da Tungus piika, ou talvez da Rússia pikat "a chiar".

Habitat
Pikas são nativas de climas frios, principalmente na Ásia , América do Norte e partes do leste da Europa . A maioria das espécies vivem em lados montanha rochosa, onde há inúmeras fendas para abrigar no, embora algumas também construir tocas bruto. Nas montanhas da Eurásia , pikas freqüentemente compartilham suas tocas com snowfinches , que constroem seus ninhos ali.
Características
Pikas são animais pequenos, com pernas curtas, orelhas arredondadas e cauda curta. Eles são aproximadamente 6-9 polegadas de comprimento, com uma cauda inferior a 2 cm de comprimento, e pesam entre 120 e 350 gramas, dependendo da espécie. Como coelhos, depois de comer que inicialmente produzirá verde suave fezes , o que eles comem novamente para extrair mais nutrição, antes de produzir o final, sólido, pelotas fecais.
Estes animais são herbívoros e alimentam-se de uma grande variedade de matéria vegetal. Devido ao seu habitat natural, eles comem principalmente gramíneas , ciperáceas , galhos de arbustos, musgos e líquenes. Tal como acontece com outras lagomorfos, pikas têm dentes  incisivos e nenhum caninos , embora tenham menos molares do que coelhos, dando-lhes uma fórmula dentária de: 
pikas Rock-moradia tem ninhadas pequenas de menos de cinco jovens, enquanto as espécies burrowing tendem a dar à luz a mais jovem, e para produzir com mais freqüência, possivelmente devido a uma maior disponibilidade de recursos em seus habitats nativos. Os jovens são nascidos após uma gestação de 25 a 30 dias.
Atividade
Pilha de vegetação, secagem nas pedras para posterior armazenamento.
Pikas são diurnos ou crepusculares , com maior altitude, geralmente espécies é mais ativo durante o dia. Eles mostram seu pico de atividade antes da temporada de inverno. Pikas não hibernam , por isso eles contam com feno recolhido para a cama quente e comida. Pikas recolher ervas frescas e colocá-los em pilhas para secar. Uma vez que as ervas secam, o pikas aproveitar esta feno de volta para as tocas para armazenamento. Não é incomum para pikas roubar feno de outros; os litígios resultantes são geralmente exploradas por vizinhos predadores como furões e aves de grande porte.
Eurasian pikas comumente vivem em grupos familiares e deveres partes de recolha de alimentos e vigiar. Pelo menos algumas espécies são territoriais. North American pikas (princeps O. e O. collaris) são anti-sociais , levando uma vida solitária fora da época de reprodução.

ESPANHA: TVE deixa de transmitir tourada, e considera-a "violência contra animais"





Por Redacção
Estocada de morte nas corridas de touros em Espanha? A TVE, canal estatal espanhol, decidiu deixar de transmitir touradas, espectáculo que no novo Manual de estilo da estação surge catalogado como «violência contra animais».
De acordo com o documento entregue à comissão de Controlo do Congresso e do Senado, a RTVE «não vai transmitir corridas de touro», uma vez que os seus horários «coincidem com o horário protegido ou de especial protecção da infância».
Apesar de admitir que não transmitirá touradas para evitar que as crianças sofram de ansiedade, o canal estatal espanhol garante que não é indiferente à importância da tourada, espectáculo com muitos aficionados em Espanha.
Assim, a TVE vai apostar no acompanhamento informativo de «aspetos artísticos, literários, ambientais e sociais», sobre a tauromaquia.
Fora da exclusão de transmissões estão as festas de San Fermín, nas quais são libertados touros nas ruas de Pamplona.
Fonte: http://www.abola.pt/mundos/ver.aspx?id=241085

Novo golpe! Cuidado!

Viaduto do Parolin - Curitiba
(PODE SER EM QUALQUER OUTRO LUGAR)
Foi presenciado nesse fim de semana próximo ao Carrefour Parolin! Era um cara caído, junto com uma bicicleta com uma caixa de engraxate ao lado. Ao voltar para casa, vi um rapaz caído na beira da calçada, com as pernas na pista e o resto do corpo na grama, com uma caixa de engraxate caída ao lado. O primeiro impulso que tive foi parar e ajudar aquela pessoa que, aparentemente, havia sido atropelada. Mas como havia muitos outros veículos atrás e a pista estreita, deixei para parar um pouco adiante e voltar para ajudar. Para adiantar o atendimento, liguei para o 190 e relatei o suposto acidente, avisando que estava indo ao local. Qual foi minha surpresa, ao receber, do atendente do 190, a orientação para não chegar perto! Ela (era uma mulher ao telefone) me perguntou se era um engraxate. Eu disse que sim. Ela então me disse que aquilo era um novo golpe! O cara fica caído na rua, e quando alguém se próxima para ajudar, ele anuncia o assalto obrigando a vítima a levá-lo até o veículo, como se estivesse amparando-o e, com isso, as pessoas que passam não desconfiam que é um assalto. Uma vez no carro da vítima, o caso se desenrola como um sequestro relâmpago: saques, violência, roubo do carro, e, em alguns casos, morte da vítima. A atendente me explicou que eles também costumam simular tombos de moto, bicicleta e acidentes de carro, mas sempre com a suposta 'vítima' caída no chão. Portanto, ao se deparar com pessoas aparentemente acidentadas, não pare! Ligue para a polícia ou acione o resgate com Corpo de Bombeiros, mas não pare. Só pare caso você tenha testemunhado o acidente! Passe para todos da sua lista, para que ninguém seja a próxima vítima'.

REPASSEM AOS SEUS AMIGOS PARA QUE NÃO CAIAM NESSE GOLPE!!!!!
(190 confirma a veracidade deste e-mail)

URGENTE!!!!!!!!! PERIGO NO FEIJÃO

Perigo no Feijão

    Cuidado ao manusearem feijão cru!!!
 
   Por via das dúvidas vale a pena abrir o saco, colocar os feijões em uma bacia sem manuseá-los,
   deixar de molho com vinagre por 15 a 20 minutos (insetos não sobrevivem mais que isto molhados)

   para depois catarem o feijão.

   Como se não bastasse a gripe suína, lá vem mais bomba!!!

 
   Matéria divulgada em vários sites de Agricultura, porém foi misteriosamente tirada do ar.
   Confirmado na última semana o 83º caso de Chagas contraído a partir do Feijão servido nas refeições dos brasileiros.
   Pelo que foi divulgado pela mídia especializada, toda a colheita entregue por uma cooperativa de plantadores de feijão

   (COOVENF) está contaminada com o protozoário da doença de Chagas (tripanosoma cruzi), oriunda do Barbeiro.


   A doença se alastrou com rapidez, pois a cooperativa atende a mais de 18 empresas que embalam o Feijão e o distribuem
  para todo Norte, Centro Oeste e Sudeste do Brasil.


Inseto em forma de ninfa no lote de feijão



O que é mais alarmante é que foi constatado que os lotes
NÃO foram tirados de circulação, fazendo com que o número de infectados aumente a cada semana.
Feijão contaminado



É sabido que já se contraiu CHAGAS a partir dos tipos carioquinha, jalo e preto, uma vez que todos são originários da mesma Cooperativa.
A maioria dos doentes estão no sul do estado de Goiás, São Paulo e Minas, porém sabe-se que há casos no Acre, Tocantins, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul.

Profissional da UNIUPS examina várias embalagens de feijão contaminadas


Infectologistas estão recomendando que se troque temporariamente o feijão por Canjica ou Grão de Bico (imunes ao Chagas) porém, se for indispensável o uso do grão do feijão nas refeições, aconselham que use  2 colheres de vinagre  no feijão que deverá ficar de molho por 15 minutos.

Repasse aos amigos, pois isso é muito perigoso!

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

RJ: Tragédia em Nova Friburgo - AJUDE!


A tragédia em toda a região serrana do Rio de Janeiro está tomando proporções cada vez maiores, tanto para as pessoas quanto para os animais. O pânico está generalizado, os animais completamente desnorteados não são capazes de entender o que está acontecendo.


Os animais também são vítimas desta enorme catástrofe. Eles precisam de nossa ajuda!


 
A Coordenadoria do Bem Animal de Nova Friburgo, em parceria com a Ong Instituto Univida de Proteção Animal, está disponibilizando uma conta bancária (abaixo) e contatos para doações que serão revertidas integralmente para alimentação e todos os cuidados que forem necessários para o atendimento dos animais desabrigados e/ou em sofrimento.

Pensamos também em auxiliar todos os canis de Nova Friburgo após vistoria no local, para verificarmos suas necessidades e para melhor utilização das doações que serão exclusivamente usadas para minimizar o sofrimento dos animais. Prestaremos contas através da Internet.

TODOS JUNTOS PELOS ANIMAIS!!!

Carla Freire
Coordenadoria do Bem Estar Animal de Nova Friburgo


Para doaçõesInstituto Univida de Proteção Animal http://www.univida.org.br/
Banco Itaú
Agência: 6542
Conta corrente: 06841-3

Contatos:Adilson Pacheco (Presidente do Univida):
(22) 2533-4035 e 8801-2153

Carla Freire (Coordenadoria do Bem Estar Animal de Nova Friburgo)
(22) 2522-1356 e 9931-3313 - coobea.nf@gmail.com

Cristina Ribeiro (voluntária)
(22) 2528-3312 e 9942-9655
Fonte: COOBEA NF e Instituto Nina Rosa

Carroceiro é condenado pelo Juizado de São José dos Campos por maus-tratos a um cavalo


O juiz Marcos Alexandre Bronzatto Pagan condenou, no Juizado Especial Criminal de São José dos Campos, o carroceiro Edgard Fernandes da Silva por crime de abuso e maus-tratos a um cavalo alazão (artigo 32 da Lei 9.605/98), fixando a pena em 20 dias-multa e decretando a retirada do animal da posse do infrator.
A denúncia havia sido oferecida pelo promotor Laerte Levai – que também é colunista da ANDA – depois de colher o depoimento de três testemunhas, tendo uma delas filmado o indiciado forçando seu cavalo a movimentar uma carroça carregada de entulho, mediante chibatadas, em uma ladeira.
A situação abusiva foi confirmada, nos autos, pela zootecnista Juliana Lisboa, que forneceu laudo à promotoria. Após o início do processo o réu desapareceu e tornou-se revel, desfazendo-se do cavalo. A partir daí numerosas diligências foram feitas para encontrar o animal, sem êxito.
No fim de 2010 a Prefeitura de São José dos Campos conseguiu localizar o cavalo, que foi encaminhado ao CCZ para ser submetido a exames laboratoriais.
Pretende-se, em seguida, encaminhar o cavalo para um haras da região, onde ele viverá o resto de sua vida em liberdade.
Como o processo (n. 577.09.776418-9/JECRIM de São José dos Campos) já transitou em julgado, essa decisão judicial transformou-se em jurisprudência e pode ser invocada em outros casos semelhantes.
Finalmente vemos justiça nesse pais!

domingo, 16 de janeiro de 2011

Circo das pulgas ajudando os animais vitimas da enchente!



Contribua para mudar esse triste cenário. Os animais necessitam de seu auxílio.
Participe ajudando os animais vítimas das enchentes. >>
Com a tragédia que assolou a Região Serrana do Rio (Nova Friburgo, Teresópolis e Petrópolis), nos últimos dias, e o estado de calamidade na região, a WSPA divulga uma campanha de doação e faz um apelo aos que desejam colaborar no auxílio aos animais, atingidos pelas fortes chuvas que castigaram o local.

Há duas formas de prestar ajuda neste momento: em dinheiro ou em forma de produto, doando ração e medicamentos veterinários para os animais.

As doações em dinheiro podem ser feitas por depósito em nome de:

Defensores dos Animais
CNPJ: 04.363.242/0001-09
Banco Bradesco
Agência: 279-8
Conta-poupança: 172813-0

Apenas essa conta é a oficial, coordenada pela WSPA. Todos os recursos serão empregados na prestação de socorro e prevenção de doenças em prol do bem-estar dos animais.


A WSPA também fez contato com alguns parceiros para apoio à campanha. O Laboratório  Merial doará um lote de vacinas para prevenção da Raiva e Leptospirose, as quais serão encaminhadas para uma clínica veterinária parceira na região de Itaipava. A Pedigree confirmou a doação de 1 (uma) tonelada de ração para cães e gatos.

A WSPA coordena essa ação em apoio aos animais, junto às seguintes ONGs afiladas: a Defensores dos Animais (Rio de Janeiro), o GAPA (Itaipava) e a AnimaVida (Petrópolis), a Combina (Nova Friburgo) e SOS Animal (Teresópolis), que estão se mobilizando regionalmente, visando minimizar o sofrimento dos animais.  

Na próxima segunda-feira, dia 17/01, dois especialistas da WSPA internacional chegam ao Rio para visitar o local. A instituição permanece em contato com os parceiros e está realizando um levantamento dos animais afetados para que possam ser socorridos, alimentados e tratados.

A área afetada reúne muitas espécies em abrigos, haras, sítios, além de centenas de animais abandonados nas ruas, cenário agravado pela situação atual das famílias desabrigadas.

Não permita que os animais fiquem desamparados.


Estamos estudando uma parceria com o crico das pulgas para arrecadar e enviar posteriormente para a WSPA as doações recebidas.